(55) 3538-1799

NO AR

AGROFEST

Com André Klein

Policial

Corpo de homem encontrado dentro de geladeira no SE é de advogado e jornalista do RS, diz família

Publicada em 22/09/2023 às 13:21h

por G1


Compartilhe
 

Link da Notícia:

 (Foto: Arquivo Pessoal)

Celso Adão Portella teria, hoje, 80 anos. Trabalhou em Porto Alegre entre as décadas de 70 e 80, tendo passagens pelas rádios Farroupilha e Gaúcha.

 

O corpo encontrado dentro de uma geladeira de um apartamento no Sergipe, na última quarta-feira (20), é de um advogado e jornalista gaúcho. A família de Celso Adão Portella, que teria hoje 80 anos, aguarda contato da Polícia Civil para ir ao Nordeste do país buscar o corpo e fazer o sepultamento. Ele deixa quatro filhos.

O irmão de Celso, Paulo Portella, conta que ele é natural de Ijuí, no Norte do estado, mas construiu a vida em Porto Alegre, tendo se formado em direito e jornalismo.

 

"Fez toda a vida na Capital. Atuou entre as décadas de 1970 e 1980 nas rádios Farroupilha e Gaúcha. Como advogado, teve um escritório em Porto Alegre. Atualmente, estava aposentado", lembra Paulo.

Ele diz que Celso deixou o estado em 2001, quando a mãe deles morreu. Ele foi para o Espírito Santo e, depois, os irmãos perderam contato.

"Eu sequer sabia que ele estava em Aracaju. Somos em 12 irmãos, e alguns acabaram se distanciando. Mesmo assim, a notícia foi um choque. Ele sempre foi um irmão muito bom, uma pessoa muito boa”, diz Paulo.

 

Segundo ele, um irmão, que é policial civil, recebeu uma ligação de uma pessoa, uma mulher, com o código de área de fora do RS, e ela disse que Celso estava morto. Em um primeiro momento, acreditaram se tratar de um trote. Após, confirmaram que era verdade.

A pessoa que teria feito a ligação é uma mulher de 37 anos, técnica de enfermagem, que está presa preventivamente desde quinta-feira (21). O caso foi descoberto por um oficial de justiça na quarta-feira durante o cumprimento de uma ordem de despejo no apartamento onde ela vivia, no bairro Suíssa, em Aracaju. O corpo estava em avançado estado de decomposição dentro de uma mala que estava em uma geladeira. No imóvel residia também a filha dela, uma criança de 4 anos.

A mulher disse, em depoimento à Polícia Civil, que os dois tiveram um relacionamento amoroso. Contou que um dia, em 2016, voltou para casa do trabalho e encontrou o companheiro morto. Por medo, guardou o corpo na geladeira.

Essa mulher é suspeita de ocultação de cadáver e de maus-tratos contra a filha por conta de ter submetido ela a uma situação como essa. Ela foi encaminhada para uma avaliação psiquiátrica no Hospital São José, em Aracaju, e, agora, está no Hospital de Custódia.

A causa da morte do companheiro é investigada e deve ser constatada pelo exame que é feito pelo Instituto-Geral de Perícias (IGP). Se houver indícios de morte por causa violenta, a mulher pode ser responsabilizada.

 




ATENÇÃO:Os comentários postados abaixo representam a opinião do leitor e não necessariamente do nosso site. Toda responsabilidade das mensagens é do autor da postagem.

Deixe seu comentário!

Nome
Email
Comentário


Insira os caracteres no campo abaixo:








.

TELEFONE/WHATSAPP

55 3538 1799

Copyright (c) 2024 - FM SUCESSO - Sucesso FM 88.3 - Boa Vista do Buricá - Crissiumal
Converse conosco pelo Whatsapp!